Home » » RELADO DE MARIDO CORNO : MINHA ESPOSA VIROU UMA VERDADEIRA PUTINHA DE OUTROS MACHOS E EU ADORO !!

RELADO DE MARIDO CORNO : MINHA ESPOSA VIROU UMA VERDADEIRA PUTINHA DE OUTROS MACHOS E EU ADORO !!

Sou casado a mais de 25 anos minha esposa Clarice tem 43 anos mais carinha de 30, quando isso aconteceu ela tinha trinta anos e eu 3 a mais que ela, temos duas filhas, na época a mais velha tinha 11 e a mais nova 10, vivíamos uma vida normal, ela dona de casa e secretaria em uma empresa de advocacia, eu vendedor e representante comercial de uma grande empresa, hoje sou um corninho meio arrependido, não porque minha mulher tem os seus casinhos, mas porque ela estava exagerando um pouco nos chifres que estava me botando, tive que fazer um acordo com ela, deixei ela ter um amante fixo , e sair uma vez por mês pra caça, e acho que isso resolveu o problema de abandono de lar que estava acontecendo, pois ela já estava praticamente morando em motéis com os comedores que eram muitos. Mas tudo começou quando comecei a ter muito tesão em pensar nela fudendo com outro, isso estava se tornando muito forte em mim, e a quinze anos atrás comecei a falar sobre essa possibilidade com ela.
A imagem da minha linda esposinha metendo com outro me deixava muito excitado, vibrava com a possibilidade da minha esposinha, mãe das minhas filhas, administradora do nosso lar, e mulher trabalhadora que ajuda o marido com as despesas de casa, mas eu sonhava o tempo todo com ela fudendo muito gostoso com outro cara, minha imaginação voava desses pensamentos e meu pau ficava muito duro com essa possibilidade, mas não tinha coragem de falar com ela dos meus desejos, não sabia como ela iria ficar depois de falar essas coisas com ela, sempre que fazíamos amor ficava excitado e pensava como tocar no assunto com ela, falar dos meus desejos, em uma oportunidade ela me pediu pra comprar uma blusinha pra ela em uma boutique de uma amiga dela, ela já tinha ido lá e avisado que eu iria lá pegar a blusa e pagar, chegando lá vi um biquíni branquinho e quase transparente, não era pequeno, mas, era bem safadinho, quando cheguei em casa disse que tinha comprado um biquíni pra ela, ela sorriu e foi experimentar, me mostrou e disse que estava muito indecente, e tenho que concordar, estava mesmo, aparecia até os cabelinhos da xoxota, eu sorri e disse que estava lindo e que o que era bonito era pra se ver, e que na ´praia tinha biquínis bem menores que aquele.
Dias depois nos fomos pra praia e ela vestiu o biquíni antigo, eu protestei e disse que tinha comprado com todo amor um biquíni pra ela e ela desprezava, ela me falou que estava muito indecente, mas se eu quisesse ela usava, mas tinha que depilar a xoxota, pois dava pra ver os cabelinhos da xota dela, eu concordei e ajudei ela a depilar a xota, na praia ela ficou com a canga o tempo todo, mas de tanto eu insistir ela tirou, estava linda, a xotinha estava muito estufadinha, muito linda, a bunda branquinha, os seios médios com os biquinhos róseos aparecendo com a transparência do tecido, ela é muito branquinha, tem um belo par de olhos azuis e sua boca é fina e muito gostosa de beijar. Eu pegava minhas duas filhas e saia com elas pra deixar ela paquerar um pouco, depois de uns 20 minutos voltava e ela estava sozinha, vendo que ela não tomava a iniciativa beijei ela na boca e disse no seu ouvido, vou até a pedra com as crianças, aproveita pra da uma paqueradinha, você merece, ela me olhou e sorrindo falou: você tá falando serio? Claro que estou! O que tem de mais você da uma paqueradinha, e sai com as crianças e depois de meia hora voltei com as crianças e ela estava conversando com um cara, quando vi o cara fiquei louco de tesão em pensar na possibilidade dela esta paquerando, ela me viu e me apesentou ao cara, conversamos por mais de 20 minutos e o cara foi embora dizendo que tinha um compromisso, na mesma noite comi ela com muito muito tesão imaginando ela na ponta da rola do cara da praia, na cama falei que ela devia ter paquerado um pouquinho, disse que ela estava precisando da uma saidinha e conhecer outros homens, ela ficou com muita raiva, disse que eu estava tentando empurrar ela pra outro, disse que eu não amava ela e ficou com raiva de mim por uns dois dias. Mas a raiva que ela estava de mim foi passando com o tempo. Semanas mais tarde ela foi convidada pra ir com uma amiga pra fazenda do pai dessa amiga, era só o final de semana, eu não podia ir, pois estava com muito trabalho atrasado e tinha que trabalhar até no fim de semana, disse que ela deveria ir com alguma amiga, e se divertir muito, ela aceitou, mas disse que não teria graça sem mim, eu olhei nos olhos dela e falei que ela devia pensar no que eu falei, disse que amava ela mais que minha própria vida, que eu tinha me divertido muito antes de me casar com ela, tinha comido muitas mulheres e ela quase não tinha experiência sexual com outros homens e eu achava que ela tinha o direito de ter pelo menos uma experiência com outro, ela me olhou e não falou nada, depois me falou que iria pra tal fazenda com a amiga e o namorado dela, eu sorri em sinal de aprovação e dei um beijo na boca dela. Fiquei os dois dias que ela passou na fazenda sozinho, minhas filhas ficaram com meus pais e o máximo que fiz foi ir ao estádio de futebol assistir o Flamengo jogar. Na no domingo a noite ela voltou e fui receber ela na porta de casa, beijei em sua boca passei a mão na sua xoxotinha e perguntei como foi o passeio, ela sorriu com minha passada de mão na xota dela depois disse que foi muito bom, mas tinha uma coisa pra me contar e não sabia minha reação, meu coração acelerou e meu pau ficou meio duro, pensei que ela iria me contar que tinha metido com outro, que finalmente eu era corno, mas ela disse que um cara da fazenda chamado Geraldo, tinha dado em cima dela e que tinha dado um beijo na boca dela quando ela não estava vendo, ela disse que ficou muito nervosa com o cara e depois de contar pra amiga, a amiga falou com o sujeito só não foi demitido porque ela pediu pra amiga esquecer o assunto. Fiquei muito decepcionado, pensei que finalmente seria corno, depois de tomar banho fomos pra cama e transamos gostoso, disse que ela não precisava nem meter com outro cara, mas que devia sair sozinha de vez em quando, namorar um pouquinho, se liberar, disse que o dia a dia dela era muito estressante, e que da uma paqueradinha não era nada de mais, e iria fazer muito bem pra ela, ela ficou me olhando e sorrindo disse que tudo isso era muito novo pra ela e que tinha que pensar no assunto, perguntei se não sentia tesão por alguém que conhecemos, ela pensou um pouquinho e disse que o Renatinho era muito bonito, o Renatinho é meu amigo desde que era criança, conhecia bem o cara e já tinha saído pra farra com ele diversas vezes quando era solteiro, o cara era pegador mesmo, comia todas que pintava na sua frente, sorri pra ela e disse que o Renatinho seria ideal pra sair com ela, disse que ele era discreto e segundo algumas namoradas dele era bom de cama e com certeza ela iria gostar de transar com ele, ela sorriu e disse que o pau dele devia ser gostoso, pois ele era muito bonito.
Os dias se passaram e uma noite transamos gostoso e perguntei durante a transa como era o nome do cara que roubou um beijo dela, ela falou que era Geraldo, eu ainda metendo nela pedi pra ela me chamar de Geraldo, ela sorriu e sem discutir me chamou de Geraldo durante toda a transa, vi que isso deixou ela muito tesuda, ai perguntei se ela tinha ficado com tesão do beijo do Geraldo, ela sem olhar pra mim falou que sim, que ele tinha um beijo que qualquer mulher fica sem folego, ai perguntei porque ela não deu pra ele. Ela disse que ficou sem jeito, com vergonha, mas confessou que ficou com muito tesão. Eu sorri e chamei ela de safadinha, e beijei ela gostoso.
Uma semana depois, ela me disse que gostaria de sair com as amigas, que a Beatriz tinha convidado ela pra sair, e ela tinha ficado de falar comigo, a beatriz é um amiga da minha esposa, ela é muito putinha, os meus amigos quase todos já tinham comido ela, fiquei muito excitado com a possibilidade de ser corno e disse que tudo bem, que ela deveria sair mesmo, e se pintasse, ela podia até da uma namoradinha, disse que ela estava muito presa em casa, pedi pra ela aproveitar muito a noite e deixar rolar, não pensar em marido nem filhos se divertir muito, beijar muito, e se quisesse até transar gostoso, disse que seria muito bom pra ela transar pelo menos uma vez fora, conhecer uma rola diferente, ela sorrindo, falou que eu não podia me queixar se ela transasse com outro mesmo, e me beijou com carinho me chamando de corninho, fiquei de pau duro na hora. Quando eu cheguei do trabalho ela estava se arrumando pra sair e eu vendo o vestido que ela tinha escolhido, disse que aquele não estava legal, ela me olhou e disse que adorava aquele vestido, eu falei que o vestido era bonito, mas muito discreto, disse que com aquele vestido ela não ia pegar ninguém, ela sorrindo disse que não ia pegar ninguém mesmo, eu disse que se ela não pegasse ninguém não entraria em casa, ela sorriu e me beijou. Peguei um vestido mais curto, de tecido fino, uma calcinha pequena e fina, de rendinha amarela, e perguntei se ela tinha depilado a xotinha bem depilada, ela sorriu e disse que não, insistir em depilar a xoxota dela, ela sorriu e perguntou por que eu queria tanto depilar a xoxota dela, eu disse que se ela fosse meter com alguém, tinha que ser com a bucetinha raspadinha, que era mais sexy, ela sorriu e concordou comigo e disse que já estava ficando com tesão do meu jeito de falar, e achava que ia chegar em casa bem arrombadinha, e eu não podia reclamar, eu beijei ela e disse que o que mais queria na vida era ser o corninho dela, e depois peguei um aparelho de barbear e depilei a xoxota dela e o cuzinho também, ela tomou um banho e vestiu a roupa que eu escolhi, ficou maravilhosa, com os cabelos bem penteados, batom vermelho na boca, contrastando com a pele branquinha, levantei sua saia e vi a calcinha que escolhi pra ela, a xotinha estava enxadinha dentro daquela calcinha apertada, os seios durinhos, provavelmente excitada com o momento, fiquei de pau duro com o que estava acontecendo na minha vida com minha esposa, eu mandando minha esposa fuder fora, era muito excitante, muito gostoso. Beijei na boca dela e disse que linda daquele jeito, ia arrumar um namorado fácil, fácil. Ela saiu toda rebolando e disse que ia meter muito, eu sorri e fui assistir televisão no nosso quarto e acabei dormindo e só acordei no outro dia com ela ao meu lado, deixei ela dormir e ela só acordou as 11 horas da manhã, eu estava na sala e as crianças ainda estava na casa dos meus pais, ela não olhava nos meus olhos por isso vi logo que ela tinha metido fora, sorri e disse, acho que minha putinha andou fudendo gostoso, ela sorriu e disse que estava morrendo de vergonha de mim, disse que não sabia como ia voltar a me encarar. Eu sorri e disse que ela devia me encarar com a cara linda dela, ela sorriu de novo e disse: mas amor eu não resistir e terminei dando pra um amigo da minha amiga Beatriz, ela ficou jogando o cara pra mim e como ele era muito bonito eu terminei metendo com ele em um motel. Eu fiquei com muito tesão e beijei ela na boca com muito carinho, peguei nos peitinhos dela e disse que estava muito feliz de ter deixado ela ter prazer com outro. Ela me beijou e disse que ele era muito cavalinho e que tinha deixado a bucetinha dela toda inchada, depois pegou na minha rola e me chamou de corninho, disse que eu era o cara mais corninho que ela conhecia, que eu ia levar muito chifre.
Dei um beijo bem gostoso na boquinha dela e ela falou: amor ele me deixou toda arrombada, me levou pro motel e mandou eu ficar de quatro, tirou o vestido todo e a calcinha só até os joelhos, ficando de quatro, sendo penetrada com força, disse que sentiu a ponta da rola dele no útero dela, disse que ele bombou por mais de vinte minutos, até enche a camisinha de esperma, depois ela chupou a rola dele e ele chupou a xoxota dela, num 69 maravilhoso, ficaram deitados juntos e ainda transaram mais umas três vezes naquela noite, de manhã ele deixou ela na frente do nosso edifício, me beijando ela perguntou se podia transar com ele mais uma vez, eu disse que sim e falei que ela devia sair outras vezes pra conhecer outros caras e se quiser transar muito gostoso, ela ficou toda feliz e disse que adorava aquela sensação de buceta ardendo de tanto fuder.
O tempo passou e depois de uns vinte dias sem falarmos do assunto ela chegou em casa do serviço toda desconfiada e vi que ali tinha alguma coisa, subi até nosso quarto e ela estava em nosso banheiro tomando banho, estranhei aquilo, ela sempre enrola um pouquinho antes de tomar banho, geralmente ela fica conversando comigo na cozinha e depois de algum tempo ela vai tomar banho. Vi logo que ela tinha transado ou tirado um saro com alguém, entrei no banheiro e fui logo perguntando o que tinha acontecido, ela sorriu pra mim e disse que não tinha acontecido nada, disse que estava só tomando banho, olhei serio pra ela e disse que não gostava de mentiras e perguntei o porque ela estava me mentindo, ela baixou a cabeça e disse que tinha acontecido de novo, disse que tinha saído com o Sergio e tinha dado pra ele de novo, não falei nada, sai do banheiro e me sentei na nossa cama, e depois de alguns minutos ela saiu do banheiro se enxugando e perguntou se eu estava com raiva dela, eu olhando nos olhos dela disse que sim, disse que já tinha autorizado ela a sair com outros caras e ela ficava fazendo as coisas as escondidas, disse que aquilo sim era traição e que se nos éramos casados tinha que ter confiança um no outro e que se ela estava saindo com outro eu tinha o direito de saber, e o que ela estava fazendo era traição. Ela chorou um pouco e disse que a mais de uma semana estava saindo com o Sérgio, mas que só tinha ido pro motel com ele hoje, e que não tinha me contado com medo da minha reação, eu disse que ela não confiava em mim e que ela tinha que me contar tudo o que acontecia com ela no dia a dia, ela beijou meu rosto e me pediu desculpas e disse que sempre que acontecesse alguma coisa com ela, me contaria imediatamente quando chegasse em casa. Descemos as escadas e eu que cheguei mais cedo preparei alguma coisa pra comermos e durante o jantar ela não abriu a boca pra falar nada, mas depois do jantar subimos pro nosso quarto e liguei a tv e fiquei deitado assistindo tv na cama, ela que estava de camisola e sem roupa de baixo como fica quando dorme, depois de algum tempo ela deitou no meu ombro e outra vez me pediu desculpas, disse que iria ser sincera comigo, eu sorri e beijei sua boca depois comecei a pegar no peitinho dela ela sorriu e me chamou de safadinho, eu sorrindo disse que safadinha era ela que tinha um maridinho em casa e ficava fudendo na rua, ela sorriu e disse que o maridinho dela tinha autorizado ela se divertir, desci a mão e meti um dedo na buceta dela e vi que estava completamente molhada, eu que já estava de pau muito duro, subi em cima dela e encaixei o pau na entrada da xoxota dela, não ouve muita resistência, a putinha estava excitada e meu pau ficou nadando lá dentro, apesar disso estava muito gostoso, ela é linda e ficar olhando pra ela olho no olho e muito gostoso, o rosto dela parece ter sido desenhado por um mestre renascentista, depois de algum tempo bombando lá dentro pedi pra ela ficar de quatro, a posição preferida dela, ela ficou e antes de meter na xoxota dela vi que o cuzinho estava muito vermelho, “o cuzinho dela é róseo”, sorri e metendo perguntei se ela tinha dado o cuzinho, ela gemendo com minhas bombadas respondeu que sim, perguntei porque ela tinha dado o cuzinho pois sabia que ela não gostava de dá o cú, ela falou que o cara insistiu muito e disse que apesar do pau dele ser muito grosso, ela tinha gostado, perguntei se ela me dava o cuzinho, ela disse que estava meio dolorido, mas meu pau era mais fino que o do Sérgio e por isso ela queria experimentar, tirei da buceta e coloquei no cuzinho dela, não foi difícil meter no cuzinho, e depois de bombar algumas vezes perguntei como foi a tarde de amor dela, ela falou que eles tinham ido em um motel muito bonito, que tinham ficado a tarde toda lá, e que o Sérgio era muito tarado e que tinha metido a tarde toda, tinha sido bem melhor que a primeira vez, meu pau ficou muito mais duro que estava e comecei a bambar com muito mais força e depois de uns cinco minutos com ela gemendo muito no meu pau, eu gosei e acho que ela gosou também. Deitamos lado a lado e ficamos nos beijando e perguntei a ela se pretendia se encontrar com ele de novo, ela fez uma carinha linda e disse que o pau dele era o mais gostoso que ela tinha experimentado na vida e perguntou se podia meter com ele de novo, eu sorri e perguntei se o pau dele era mais gostoso que o meu, ela baixou a cabecinha e com um sorrisinho safado disse que era diferente, que o meu era muito gostoso, mas o dele era uma delicia, sorri e disse que ela podia meter com ele de novo, mas não queria nada escondido, queria sinceridade dela sempre, ela me prometeu que nunca mais faria nada escondido de mim, e dormimos aquela noite abraçadinhos e de madrugada ainda levantei com tesão e chupei a xoxotinha dela dormindo, claro que ela acordou e adorou, ela adora ser chupada quando está dormindo, no outro dia acordei mais cedo que ela e como era sábado e não trabalhamos no sábado, fiz o café da manhã pra ela e eu fiquei esperando ela acordar, como ela não acordava nunca, fui ao quarto e encontrei ela nua de bruços, ela tinha comocado o travesseiro embaixo dela o o bumbum ficou empinadinho, parecia que ela tinha feito de proposito, dava pra ver até o cuzinho dela, fiquei excitado e nem pensei em buceta, fui logo pegando o KY gel e passando no cuzinho dela, tinha certeza que ela estava acordada e fingia que estava dormindo, entrei no jogo dela e fui metendo no cuzinho dela bem devagar, até que entrou tudo, ela empinou mais ainda a bunda e comecei a estocar forte o cuzinho dela, ela já não fingia mais dormir, começou a gemer e falava que era uma delicia dá o cú e que meu pau era mais gostoso que o do Sérgio pra meter no cuzinho, e pediu quase implorando pra eu meter mais forte e não parar de meter, metemos até ela gosar sem sequer eu botar a mão na bucetinha dela, depois eu gosei pouco, porque tinha gosado muito a noite. Passamos um final de semana muito gostoso, e fudemos muito com ela me contado a trepada dela com o Sérgio e me falando o quanto a Beatriz amiga dela era putinha, ela me contou das prepadas da Beatriz, e do caso dela com o sobrinho de 20 anos de idade, fiquei muito tesudo e perguntei se podia meter um pouco na beatriz, ela ficou calada e vi que ela não gostos muito da possibilidade de dividir o marido com outra, e depois de alguns minutos sem falar nada ela disse que se eu quisesse ela até parava de transar com o Sérgio, mas não queria que eu transasse com outra mulher, olhei pra ela e disse que não era justo ela trepar com outro e eu não poder comer a Beatriz, ela me olhou quase chorando e disse que me amava e que morria de ciúmes só de pensar que eu estava nos braços de outra mulher, eu falei que tudo bem, e pedi pra ela não pensar mais nisso.
O tempo foi passando e depois de duas semana minha mulher chegou muito triste em casa e me falou que tinha perdido o emprego, disse que a firma que ela trabalha estava falindo, eu beijei ela e falei que toda noticia ruim vinha acompanhada de uma noticia boa, disse que finalmente tinha saído minha promoção e que eu iria pagar o salario dela na integra, ela meio triste me deu os parabéns e disse que não queria, disse que gostava de ganha o seu dinheirinho e não achava legal eu pagar o salário dela. Eu sorrindo disse que ela era minha putinha e tinha que ganha pelo programa, ela sorriu e me beijando disse que então, já que eu era sua putinha ela tinha que fuder a hora que eu quisesse, eu sorrindo disse que era verdade, mas que como ela estava muito tristinha eu deixava ela fuder um pouquinho com o Sérgio, ela meio seria disse que ele vivia ligando pra ela, mas ela tinha resolvido não transar mais com ele, eu perguntei se ela não sentia mais vontade de transar com ele, ela disse que sim, mas como não queria que eu transasse com a Beatriz também não iria transar com o Sérgio, eu sorri e disse que tudo bem, e que talvez fosse legal ela transar com ele hoje, disse que não queria ver ela tão tristonha e que iria depilar aquela xoxotinha pra ela fuder bem gostoso com o amante, ela sorriu e disse que morria de saudades da pica dele, e que a muito tempo estava pensando em ligar pra ele, peguei o celular dela e disse pra ela ligar e marcar um encontro e ir pra um motel e meter a noite toda, os olhos dela brilharam e ela ligou na minha frente e contratou com ele uma saída a noite, ele disse que não era possível pois tinha um compromisso, ela meio ríspida disse que se não fosse naquela noite nunca mais seria, ele ficou uns segundos calado depois disse que adiaria o compromisso e compinou com ela o local do encontro. Ela desligou o celular e me abraçou agradecida e disse que talvez séria bom pra ela sentir aquela rola grossa dentro dela.
Eu comprei cera de depilação e depilei a xoxota e o cuzinho dela, escolhi uma calcinha bem sexy e um vestidinho que deixava ela super gostosa, às 17 horas ela saiu e só voltou as oito do dia seguinte, estava toda sorridente e disse que tinha fudido muito, disse que estava com a bucetinha muito inchadinha e me beijando na boca disse que era a mulher mais feliz do mundo, e que apesar de está muito dolorida na xota o cuzinho não tinha sido usado, apesar da insistência do amante, e que o cuzinho era todo meu, sorri e tirei a roupinha dela e vi o estrago na xoxota, estava toda vermelhinha toda larguinha, beijei as costas dela e disse que ia pegar o KY, ela sorriu e disse que não era preciso, que quem tinha aguentado aquela rolona a noite toda aguentava no cú sem KY. Cuspi na mão e passei no cuzinho dela e fui metendo e o pau foi entrando aos poucos, e depois de alguns segundos já estava bombando gostoso e fudemos até eu e ela gosarmos.
Hj em dia minha esposinha tem um amante fixo e mete com ele em media duas vezes por semana e eu fico em casa esperando ela voltar para casa com a xoxota cheia de porra do amante ... em breve mandarei mais historias da aventuras da minha esposa ...





 
Support : Copyright © 2015. Fotos Reaisdees Posas - All Rights Reserved